Notícias

Postado em 15 de Outubro de 2015 às 15h45

Entrevista - Planejar não é difícil, o difícil é implementar, diz especialista

Simec - Chapecó/SC    O Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e do Material Elétrico de Chapecó (Simec) realizou, em 13 de outubro, a palestra “Planejamento de Cenários,...

   O Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e do Material Elétrico de Chapecó (Simec) realizou, em 13 de outubro, a palestra “Planejamento de Cenários, Reflexão e Apoio ao Planejamento Estratégico”. O tema foi abordado por Jerônimo Lima, doutor em Administração de Empresas, com experiência em consultoria e educação corporativa, nas áreas de estratégia, modelos de gestão, gestão do conhecimento organizacional, empreendedorismo e inovação e desenvolvimento de lideranças. Jerônimo fala, nesta entrevista, sobre a importância do planejamento estratégico aliado à qualificação de pessoal, o ambiente de mercado e a necessidade de manter-se informado e de persistência pelos empresários.

   O bom planejamento estratégico
  Um planejamento estratégico para que seja realizado e bem sucedido deve, principalmente, girar em torno de boas informações. É muito difícil planejar, pensar no futuro sem ter uma base de conhecimento dos fatores que afetam a empresa. Assim, a primeira causa do sucesso é ter uma boa análise do macro ambiente econômico no qual a empresa está inserida, posteriormente do setor de atuação, analisando principalmente a concorrência direta, as necessidades e expectativas dos clientes e o poder de barganha dos fornecedores para, dessas análises, identificar as ameaças e oportunidades que a empresa pode capitalizar ou terá que enfrentar.
   Num segundo momento é importante analisar o ambiente interno para saber se existem processos suficientemente bem elaborados e pessoas qualificadas para prestar um bom serviço, realizar um bom trabalho e assim entregar valor para o cliente. Sem ter essa base de informações, pensar e planejar, não é possível avançar.
   Depois da questão de levantamento de informações, é preciso discutir o tipo de estratégia a ser adotada. A empresa pode competir com produtos que todos tem? E aí necessariamente ela vai competir em preço, porque vende quem vende mais barato, ou ela vai competir em diferenciação, apresentando produtos e serviços diferentes dos seus concorrentes? Essa é uma discussão que leva a uma escolha estratégica. A partir disso, é preciso que a empresa defina projetos e processos que vão conduzir suas escolhas de modo a realizá-las, considerando a necessidade de serem monitorados por indicadores de desempenho, para ter informações confiáveis se estão sendo bem feitos e, principalmente, se estão atingindo as metas propostas quando se definiram as estratégias a partir das informações levantadas.

   Como fazer o planejamento
   Planejar não é difícil, o difícil é implementar o planejamento que foi pensando. É preciso ficar monitorando o tempo todo a execução dos planos para ver se realmente eles estão sendo realizados conforme o combinado, seja em questão de prazo, orçamento e se esses planos contém ações suficientes para que as estratégias, os objetivos que a empresa se propôs, estão sendo atingidos. Esse monitoramento vai levar a uma análise que permitirá a tomada de ações preventivas ou corretivas para que a empresa então tenha a garantia que seu planejamento vai ser bem sucedido.
   Melhora do desempenho
   O desempenho das empresas é melhorado de duas maneiras: de um lado, tem que melhorar os processos, fazendo análises e melhoria para garantir que o que foi proposto ao cliente seja de fato entregue. De outro lado, as empresas precisam crescer e crescimento vem de projetos que contemplam inovações, então a melhoria no desempenho das empresas passa pela administração destas duas entidades: de um lado processo para garantir a entrega daquilo que foi prometido e do outro crescimento através de projetos que introduzam inovações nos produtos e serviços.

   Pagar suas contas/dívidas
 Isso diz respeito a uma conjuntura econômica nacional, mas também a planejamento, porque se não feita previamente uma previsão de gasto, por exemplo, com 130 salário, férias e com pagamento de impostos, a empresa não conseguirá arcar com seus compromissos e fica se endividando, pegando dinheiro em banco. Assim, o planejamento financeiro, via orçamento e tributário, são ferramentas que garantem que a empresa não fique inadimplente, que não tenha problemas com contas a pagar e dívidas de um modo geral.

   Cenário econômico e gestão
  Sim, há dificuldades, principalmente no que diz respeito às mudanças, pois as enfrentamos o tempo inteiro, sejam de caráter econômico ou de políticas governamentais. Exemplo é a recente situação com o caso da energia elétrica: hoje muitas empresas sofrem com o valor alto que pagam a conta de luz. Em conjunto disso, com a ascensão do governo do PT ao poder, ocorreu o reforço econômico das classes C e D. Tivemos uma massa de consumidores que veio para o mercado que antes não consumia, por exemplo, os produtos que a classe B consumia. Essas são mudanças do ponto de vista da demografia, mas também ocorrem mudanças tecnológicas. Hoje em dia se a empresa não melhorar os processos automatizando, buscando em hardware, software, em automação, ficará ultrapassada rapidamente e não conseguirá alcançar os concorrentes que se antenaram para isso. Essas mudanças acabam prejudicando o crescimento das empresas se elas não se planejarem para isso.

   Conselho aos empresários hoje 
  Os empresários precisam ter persistência nas suas decisões, a crise vai passar, nós não vamos viver essa crise permanentemente. Nas empresas que faço consultoria, sabendo que a situação não está boa lá fora, elas estão se estruturado internamente, analisado e melhorado seus processos, reduzindo os custos, capacitando pessoal e investindo em tecnologia. Dessa forma se tornam mais consistentes para enfrentar o mercado que vai estar melhor daqui a algum tempo. O meu conselho é que não desanimemos neste momento, que as empresas continuem investindo em capital humano, em tecnologia, em pessoas qualificadas, que façam um bom trabalho. Esse conjunto de preocupações com as pessoas, com a tecnologia, com o planejamento, com o modelo de gestão do negócio de um modo geral, com o crescimento e a inovação, tem que ser uma preocupação constante do empresariado. 


EXTRA COMUNICA - Hugo Paulo Gandolfi de Oliveira-Jornalista/MTE4296RS - 15/10/15 Texto: Izabel Guzzon - extra@extracomunica.com.br | (049)3312-2572 *Simec Entrevista

Veja também

Visita técnica amplia conhecimento empresarial31/07 Observar em pleno funcionamento o ambiente de uma empresa que se destaca pela atuação no mercado, de forma a verificar o trabalho que realiza e as experiências acumuladas, conhecer sua organização e dinâmica de atividades e ampliar conhecimentos. Essas são as finalidades do programa Visita Técnica Simec, iniciativa do Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e do Material Elétrico de Chapecó e que teve nova......
Feira Eletrometalmecânica tem expectativa da presença de 140 marcas07/11/17 Cem estandes e a presença de 140 marcas expositoras. Essa é a expectativa dos organi-zadores para a realização da Feira Eletrometalmecânica 2018, que apresentará tecnologias e soluções de nível......
Economista falará no Simec sobre perspectivas da economia para este ano03/03/17 O Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e do Material Elétrico de Chapecó (Simec) realizará no dia 14 de março palestra para tratar sobre as perspectivas da economia para este ano. A palestra,......

Voltar para Notícias