Notícias

Postado em 16 de Outubro às 16h04

Workshop tratará nesta quinta-feira sobre Programa de Excelência na Gestão

O Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e do Material Elétrico de Chapecó (Simec) desenvolve ações para formar um grupo da indústria eletrometalmecânica para realizar o Programa de Excelência na Gestão (PEG), conduzido em Santa Catarina pelo Movimento Catarinense de Excelência (MEG), ou Excelência SC. Dentro dessa iniciativa, o Simec realiza nesta quinta-feira, 18 de outubro, workshop para apresentar esse programa, que tem como finalidade apoiar a implementação do modelo de excelência nas empresas, de forma a contribuir com o amadurecimento na gestão.

Conforme o presidente do Simec, Adilson Campos, esse programa é organizado pela entidade porque deverá ter, entre seus resultados, o amadurecimento da gestão, o compartilhamento de práticas de trabalho, o salto de qualidade gerencial, indicadores comparáveis da gestão e a melhoria da competitividade. Além disso, o dirigente enfatiza que o programa tem foco na gestão estratégica e de processos, no gerenciamento de pessoas, no relacionamento com o cliente e no acompanhamento de indicadores e de resultados. As etapas previstas incluem diagnóstico, plano e aplicação de melhorias e acompanhamento.

O evento está marcado para as 18h30, no auditório do Simec. Inicialmente esse evento contará com apresentação de case do Laboratório Vida, pela gestora Maribel Gaio. Depois, a diretora administrativa financeira Aureane Mignon mostrará o case da Ogochi, empresa vencedora do Prêmio Catarinense da Excelência. Esses dois cases irão mostrar como o MEG ajudou a empresa superar desafios, a crescer e se desenvolver. Em seguida, será feito o detalhamento sobre o Programa de Excelência na Gestão, pela instrutora representante do Excelência Santa Catarina, Larissa Raiser.

EXTRA COMUNICA - Hugo Paulo Gandolfi de Oliveira-Jornalista/MTE4296RS - 16/10/18


Postado em 10 de Outubro às 15h00

Workshop no Simec apresentará Programa de Excelência na Gestão

Apoiar a implementação do modelo de excelência da gestão nas empresas, sejam elas públicas, privadas ou instituições sem fins lucrativos, de forma a contribuir com o amadurecimento na gestão. Essa é a finalidade do Programa de Excelência na Gestão (PEG), conduzido em Santa Catarina pelo Movimento Catarinense de Excelência, ou Excelência SC. Diante dos objetivos dessa iniciativa, o Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e do Material Elétrico de Chapecó (Simec) desenvolve ações para formar um grupo da indústria eletrometalmecânica para realizar esse programa.

Uma das atividades programadas compreende workshop que ocorrerá no dia 18 deste mês, às 18h30, no auditório do Simec. Inicialmente esse evento contará com apresentações de cases do Laboratório Vida, pela gestora Maribel Gaio, e da Ogochi, pela diretora administrativa financeira Aureane Mignon. Para finalizar, às 19h30, a instrutora representante do Excelência Santa Catarina, Larissa Raiser, fará a apresentação do Programa de Excelência na Gestão.

O presidente do Simec, Adilson Campos, destaca a importância do programa para a implementação de ações de gestão nas empresas do setor eletrometalmecânico. Argumenta que o foco se volta para a gestão estratégica, o gerenciamento de pessoas, o acompanhamento de indicadores e resultados, a gestão de processos e o relacionamento com o cliente. Nesse sentido, acrescenta o empresário, estão previstas as etapas de diagnóstico, plano de melhorias, aplicação das melhorias e acompanhamento das atividades planejadas.

Para informações e inscrições ao workshop pode ser mantido contato até o dia 16, segunda-feira próxima, com o Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e do Material Elétrico, pelo telefone (49)3323-3102 ou pelo e-mail simec@simeconline.org.br.

EXTRA COMUNICA - Hugo Paulo Gandolfi de Oliveira-Jornalista/MTE4296RS - 10/10/18


Postado em 02 de Outubro às 17h21

Simec destaca demandas apresentadas na Carta da Indústria

Simec - Chapecó/SC As instituições podem "concentrar ideias, propostas e soluções fundamentais para os postulantes ao pleito", enquanto os cidadãos precisam ter comprometimento em votar, como "a...

As instituições podem "concentrar ideias, propostas e soluções fundamentais para os postulantes ao pleito", enquanto os cidadãos precisam ter comprometimento em votar, como "a melhor forma de atuar diretamente no processo político do País, pois com a efetiva participação é possível fiscalizar e cobrar seus representantes". Essa avaliação é do presidente do Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e do Material Elétrico de Chapecó (Simec), Adilson Campos, a propósito da "Carta da Indústria" e demandas apresentadas para candidatos nas eleições deste mês.

A Carta da Indústria foi elaborada pela Fiesc no último semestre. Através desse documento a Federação das Indústrias aponta - para candidatos que concorrem ao Executivo e ao Legislativo -, caminhos para o desenvolvimento catarinense. São elencadas demandas do setor industrial em oito fatores estruturantes, como forma de ampliar a competitividade. A federação defende planejamento, investimentos e ações concretas em relação a: capital humano; educação; desenvolvimento do mercado; investimentos e políticas públicas; infraestrutura; inovação e empreendedorismo; internacionalização das empresas; e saúde e segurança.

Para o presidente do Simec, os temas levantados demonstram com clareza as propostas para resolver vários atrasos que impedem o desenvolvimento e a competitividade da indústria. Acrescenta que os eleitos precisarão equilibrar as contas públicas e colocar o país na rota do desenvolvimento, "com previsibilidade e segurança para que se tenha investimento, e também é necessária a redução do tamanho do Estado, para que atue apenas naquilo que é inerente à sua razão de existir". O empresário defende, ainda, a redução da burocracia e a simplificação tributária, "assuntos de várias décadas, mas sem solução", e a criação de ambiente favorável aos negócios, para que as empresas possam se desenvolver de forma sustentável, gerando emprego e renda à população.

Para a região

Existem várias questões fundamentais que a região Oeste de Santa Catarina clama por atenção há muitos anos e que impedem o maior desenvolvimento, avalia o dirigente do Simec. Cita as grandes deficiências na infraestrutura, como a necessidade de melhorias nas rodovias estaduais e federais, incluindo a imediata duplicação da BR 282, por ser uma rota fundamental para o deslocamento da produção da região. Salienta, também, a necessária atenção ao empreendedorismo, para que haja ambiente favorável para os negócios, com menos burocracia, carga tributária razoável e segurança jurídica nas operações.

O empresário faz referência, ainda, às demandas para investimentos maiores e constantes na educação, para a formação, profissionalização e preparação das pessoas para o mercado de trabalho, na saúde, "para que todos tenham atendimento digno e com estrutura necessária", e na segurança, de forma que se possa ter tranquilidade de se locomover com liberdade e patrimônio seguro.

EXTRA COMUNICA - Hugo Paulo Gandolfi de Oliveira-Jornalista/MTE4296RS - 2/10/18


Postado em 28 de Setembro às 13h39

Observatório Social apresenta no Simec ações contra corrupção

Simec - Chapecó/SC O movimento "Unidos Contra a Corrupção" foi apresentado em reunião da diretoria do Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânica e do Material Elétrico de...

O movimento "Unidos Contra a Corrupção" foi apresentado em reunião da diretoria do Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânica e do Material Elétrico de Chapecó (Simec). Estiveram presentes para mostrar as finalidades dessa ação representantes do Observatório Social, que apresentaram o movimento e indicaram que podem participar cidadãos e empresas.

Em nome do Observatório Social, Luiz Henrique Gemelli, Ozama Simon e Vilmar Luiz Mattiello especificaram, no início da manhã de quinta-feira, 27 de setembro, que o movimento, entre outras ações, conta com 70 propostas legislativas e regulatórias contra a corrupção. Para o levantamento, foram consultadas 373 instituições e participaram da elaboração mais de 200 especialistas, revisores e consultores. Indicaram que qualquer pessoa, bem como as empresas, podem participar, mediante acesso ao site www.unidoscontraacorrupcao.org.br. Nesse mesmo site os candidatos às próximas eleições podem estabelecer obrigações com base nos critérios de passado limpo, compromisso com a democracia e apoio a novas medidas contra a corrupção, e a consulta permanece aberta aos eleitores.

"O Brasil precisa de atitudes como esse movimento, que tem importância fundamental para moralizar inúmeras práticas em relação à vida pública", avalia o presidente do Simec, Adilson Campos. Para ele, nesse sentido no que depender das empresas e das pessoas é preciso haver a participação, para que surjam novas atitudes e seja melhorada a situação atual, principalmente de desrespeito ao dinheiro público. O empresário também destaca o esforço e o tempo dedicado por lideranças que participam de movimentos como o Observatório Social para melhorar o quadro de descrença nas instituições e nos agentes públicos, não somente no período pré-eleitoral, mas também depois no acompanhamento.

As diretrizes
As propostas contra a corrupção têm o apoio da organização Transparência Internacional e da Fundação Getúlio Vargas (FGV), através do curso de Direito. O pacote inclui anteprojetos de lei, propostas de Emenda à Constituição, projetos de resolução e outras normas voltadas para o controle da corrupção. Entre outros aspectos, contém diretrizes sobre prevenção à corrupção, medidas para eleições e partidos, responsabilização dos agentes públicos, medidas anticorrupção no setor privado, melhorias do controle interno e externo, investigação e aprimoramentos quanto aos âmbitos penal, processual e da improbidade administrativa.

EXTRA COMUNICA - Hugo Paulo Gandolfi de Oliveira-Jornalista/MTE4296RS - 28/09/18